O projecto

O aumento do consumo de água, e o consequente aumento das extracções (por vezes em níveis insustentáveis), aliadas à degradação da qualidade dos recursos hídricos e às alterações climáticas estão a contribuir, a nível mundial, para o empobrecimento e a contaminação dos recursos hídricos superficiais e subterrâneos.

O Projecto WATER RE-BORN - Artificial Recharge: Tecnologias Inovadoras para a Gestão Sustentável de Recursos Hídricos foi financiado em 2011 pela União Europeia (no âmbito do programma LIFE+) com o objectivo de estudar medidas de controlo da água subterrânea. A recarga artificial de aquíferos, simplesmente apelidada de “AR” (Artificial Recharge) ou “MAR” (Managed Aquifer Recharge), permite mitigar o desequilíbrio entre a disponibilidade e a necessidade de recursos para o uso humano e para as actividades económicas. A restauração de um regime hídrico, sobretudo em áreas com fortes preocupações ambientais, deve prever não só os recursos necessários, mas também as necessidades e usos das actividades produtivas. A AR é a melhor metodologia de mitigação do desequilíbrio a médio e longo prazo, sem desregular o tecido territorial e socio-económico.

O projecto WARBO nasceu com a ideia de favorecer a recarga nos aquíferos por infiltração de águas naturais pluviais nos períodos de surplus hídrico, mitigando os efeitos da extracção excessiva nos períodos de maior carência. Com estes sistemas, será posta em práctica, testada e avaliada uma metodologia inovadora que hoje só é utilizada localmente para a realização de barreiras hidráulicas para a cunha salina em algumas áreas costeiras. O projecto desenvolverá algumas acções piloto em sítios com problemas de degradação qualitativa e quantitativa dos recursos hídricos e nos quais são necessárias medidas urgentes para combater o stress hídrico sem alterar o uso do território e desenvolvendo protocolos de gestão da recarga artificial. As duas áreas teste serão o delta do Pó e a Alta Pianura Fruilana e serão aplicadas diversas metodologias de recarga artificial para favorecer o armazenamento subterrâneo a partir das águas superficiais da rede hidrológica. Os métodos e protocolos elaborados com o Projecto WARBO serão, no final, transferidos às entidades gestores competentes de modo a fornecer sistemas fiáveis de gestão e protecção dos recursos hídricos, apoiar os processos de governância da água, e fornecer indicações para o futuro de uma política de desenvolvimento socio-económico e de protecção ambiental.